sábado, 21 de março de 2009

Invenção

Se é por mim que traço
o teu retrato,
a sobrancelha, a boca
o pensamento

É por ti, também
que já o guardo
e o demoro naquilo que eu
invento

A mão descida ali
o ombro inclinado

Os dedos descuidados
o gesto de que lembro

Se é por mim que faço
o teu retrato
dizendo de ti mais do que
entendo

É por ti que o testemunho
e faço:
o nariz, a face dissimulando os dentes

Deixo para o fim os lábios
os olhos deste mar
com a cor do luar
a meio de Agosto

Se desvendo de ti o sol-posto
é porque vejo o coração
amar
e nada mais me dá tamanho gosto

(Maria Teresa Horta)

quarta-feira, 11 de março de 2009

terça-feira, 10 de março de 2009

Tão linda!!!






Para todos aqueles que se sentirem tocados com a letra.

quinta-feira, 5 de março de 2009

Pergunta-me...

Pergunta-me
se ainda és o meu fogo
se acendes ainda
o minuto de cinza
se despertas
a ave magoada
que se queda
na árvore do meu sangue

Pergunta-me
se o vento não traz nada
se o vento tudo arrasta
se na quietude do lago
repousaram a fúria
e o tropel de mil cavalos

Pergunta-me
se te voltei a encontrar
de todas as vezes que me detive
junto das pontes enevoadas
e se eras tu
quem eu via
na infinita dispersão do meu ser
se eras tu
que reunias pedaços do meu poema
reconstruindo
a folha rasgada
na minha mão descrente

Qualquer coisa
pergunta-me qualquer coisa
uma tolice
um mistério indecifrável
simplesmente
para que eu sabia
que queres ainda saber
para que mesmo sem te responder
saibas o que te quero dizer

(Mia Couto)